Considerações sobre o texto “C.E. Chico Anysio: um capítulo à parte na história das ocupações”, publicado pela direção da Regional III do Sepe-RJ:

A privatização e o modelo de gestão público privado são pontos que realmente merecem discussão. Porém é importante citar que a ocupação ocorreu principalmente com base na atitude truculenta, desrespeitosa e debochada por parte da SEEDUC e a METRO.

O Ensino Médio Experimental, da forma que foi aplicada no colégio foi sim, responsável por diversos ganhos. Os alunos puderam adquirir responsabilidade, pensamento crítico e protagonismo, habilidades estas que foram essenciais para a decisão pela ocupação da escola. Ressaltamos que, apesar da parceria público privada, o colégio ao contrário de outras unidades do Dupla Escola, não tem caráter técnico e é sempre mencionado que o mesmo prepara o estudante “para a vida”, para que o mesmo tenha consciência de que pode ser o protagonista de sua história e tenha os meios necessários para tal.

Além disso, afirma-se no texto que alguns alunos do colégio “constataram” que as aulas servem apenas para prepará-los para exames do próprio estado (leia-se Saerj), dificultando o acesso dos mesmos à universidade por meio de Enem ou outro tipo de vestibular.

Tal constatação não existiu. Temos a consciência de que o colégio não é perfeito e tem seus erros, até mesmo em sua metodologia. Porém há desde sempre uma preparação em todos os sentidos para que o aluno tenha condições de realizar uma prova externa, seja o Saerj seja de uma universidade. Temos uma equipe robusta de professores e as aulas desenvolvidas não são perfeitas, mas com certeza têm muitos méritos.

Por último, diz-se que os alunos enfrentaram-se com os professores. Isso não ocorreu. Passamos dez horas por dia na escola, todos os professores são nossa segunda família. A ampla maioria dos alunos desenvolveu uma relação muito harmoniosa com os professores, apesar das turbulências consequentes da ocupação. Entendemos que nem todos estão a favor de nosso movimento mas não há um enfrentamento entre corpo discente e docente, muito pelo contrário.

Estando todas estas observações evidenciadas, esperamos ter esclarecido os mal entendidos que surgiram em relação à ocupação do nosso colégio.

Ocupação do colégio Chico Anysio