Crise para quem?

24fev2016muspeO governador Pezão (PMDB) diz que o estado está falido e que não tem dinheiro para gastos com o funcionalismo público. A cada semana, nós, servidores do estado, somos surpreendidos com mais perda de direitos. Enquanto isso, veja o que Pezão faz com o dinheiro público:

  • 35 bilhões em isenções fiscais para grandes empresas;
  • 760 milhões para a Ambev construir uma fábrica na cidade natal do governador;
  • 39 milhões para pagar a conta de luz da Supervia/Odebrecht;
  • 53 milhões para propaganda;
  • 19 milhões para a reforma do Palácio Guanabara;
  • 50% de desconto de IPVA para os empresários de ônibus.

A quem o governo quer enganar? Quem precisa de dinheiro não poderia “abrir mão” de receita.

Pela unidade dos servidores!

02mar2016Para barrar todos esses ataques, é necessária a unidade dos servidores, e a EDUCAÇÃO DEVE FAZER A SUA PARTE! Temos motivos de sobra para isso:

  • 0% de reajuste em 2015!
  • 0% de reajuste em 2016!
  • parcelamento de salários!
  • modificação no calendário de pagamento!
  • proposta de aumento da contribuição para 14%!

Atenção! Nossa luta, hoje, não é apenas para exigir reajuste salarial. A situação é de extrema gravidade. Estamos perdendo direitos já conquistados há anos! E QUAL SERÁ NOSSA ATITUDE DIANTE DE TANTAS PERDAS?

Texto publicado no Sepe Teresópolis

Anúncios