Ao menos 213 trabalhadores e trabalhadoras ficaram feridas nesta quarta-feira, 29 de abril, segundo dados da Prefeitura de Curitiba, no Paraná. Este alto número de se deve ao covarde ataque da Polícia Militar contra os profissionais de educação das escolas públicas estaduais daquele estado. Trata-se de uma das maiores demonstrações de abuso de poder da história recente do país contra um grupo de educadores em manifestação.

O Ato da greve protestava contra a votação do projeto que autoriza o governador Beto Richa (PSDB) a usar recursos do fundo de pensão ParanáPrevidência. Estes recursos são originários de descontos dos salários de professores e funcionários e o governo pretende desviar para a iniciativa privada. Os professores e funcionários foram covardemente espancados para que os deputados do legislativo estadual aprovassem este ataque a previdência destes servidores. Um verdadeiro roubo do dinheiro destes funcionários públicos.

29abr2015curitibaProfessores

O ataque contra os manifestantes foi tão covarde que 17 policiais foram presos por se recusarem a participar da violência.

A PM paranaense usou todo o arsenal contra os manifestantes (gás lacrimogênio, spray de gás pimenta, balas de borracha e cassetetes) e ainda utilizou cães pitbull para morder quem estivesse presente.

Trabalhadores em Educação de pelo menos 10 estados do país estão mostrando com luta e sangue que o Brasil está longe de ter como prioridade a educação, como prometeu a presidente Dilma Rousseff durante as eleições. A “Pátria educadora” se tornou “Pátria repressora”. Os professores que ousam lutar, com greves e mobilizações são tratados pelos governos com tiros, gás de pimenta e cassetetes.

Os trabalhadores de todo o país acompanharam estarrecidos a repressão da polícia do governador Beto Richa (PSDB) contra educadores, que transformou a Praça Cívica, em Curitiba (PR), em Praça de Guerra.

Independente da esfera, tanto os governos (federal, estaduais ou municipais), em consonância com os patrões, o que ocorre nacionalmente é o desmonte do setor de Educação, com agravante da violência contra educadores de todo país que lutam contra retirada de direitos.

Nos estados e municípios, seguindo a política federal, o enxugamento fiscal e contenção de despesas são igualmente repassados para a sociedade que é quem paga a conta. Isso por meio dos elevados tributos, ou por meio da precarização dos serviços públicos.

Somente no âmbito federal, o governo cortou 7 bilhões de reais da pasta Educação. Tal medida de redução e contenção de gastos visa garantir “economia” para o pagamento da dívida pública, que consome quase metade do orçamento, 45%.

A meta do governo é poupar R$ 66,3 bilhões para garantir o superávit primário (economia para enriquecer ainda mais banqueiros e empresários), e isso será feito cortando despesas e aumentando receitas (por meio da elevação de impostos). Sabemos quem paga por isso: os trabalhadores.

A exemplo da brutal repressão aos trabalhadores em educação do Paraná e da repressão em outros estados, os profissionais da educação devem intensificar também a resposta com mobilização, unidade e greve.

Infelizmente a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) que poderia organizar a categoria em todos os estados não ajuda. Mesmo diante de várias greves, que perduram há mais de um mês, chamou somente para agora e de forma desarticulada a uma mobilização nacional.

É necessário que as entidades (CNTE, CUT, FS, CTB, UGT, NCST) rompam com as bandeiras governistas e organizem os trabalhadores da Educação, bem como de outras categorias para uma greve geral.

É preciso fortalecer e impulsionar as lutas de todos os trabalhadores para um calendário nacional. Vamos lutar contra as MPs 664 e 665 que retiram direitos e benefícios, e o projeto de lei 4330 que regulamenta a terceirização no país. Vamos dar um basta aos ataques aos direitos e só conseguiremos isso colocando os trabalhadores nas lutas e unidos em uma única greve que interrompa a produção nacional.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s